Laboratório Emílio Ribas

Vitamina A e Zinco ajudam a curar a tuberculose

Os pacientes de uma doença que volta a ameaçar a população mundial, a Tuberculose, podem se beneficiar da adição de vitamina A e de suplemento de Zinco à medicação padrão contra a doença, relatam pesquisadores holandeses da Universidade Wageningen, na edição de abril do American Journal of Clinical Nutrition.


Pesquisas anteriores haviam mostrado que doentes com tuberculose geralmente sofrem de desnutrição, o que pode enfraquecer o sistema imunológico e aumentar a suscetibilidade a enfermidades. Os cientistas têm observado que a adição de vitamina A e de zinco melhora o sistema de defesa desses pacientes.
No trabalho atual, os pesquisadores realizaram um estudo aleatório para averiguar se o acréscimo de vitamina A e de zinco à dieta de pessoas que tomavam medicação contra a tuberculose incrementaria os resultados. Os cientistas avaliaram 110 indonésios com tuberculose recém-diagnosticada, sendo que 80 deles completaram o estudo. Metade dos pacientes integrou um grupo que recebeu a medicação padrão contra a tuberculose mais 5.000 UI de vitamina A e 15 miligramas de zinco. Os demais tomaram os remédios contra a infecção e placebo.
Os participantes da pesquisa foram submetidos a longos exames antes do início do tratamento e passaram por novos testes 2 e 6 meses mais tarde. Os pesquisadores descobriram que os complementos pareceram aumentar a eficácia da medicação antituberculose nos primeiros 2 meses de terapia. Em comparação com os doentes que receberam apenas o tratamento convencional, os pacientes que ingeriram os suplementos apresentaram o dobro de chance de eliminar a bactéria da tuberculose do muco pulmonar excretado na tosse em duas semanas - e de manter o efeito por 7 semanas. Nestas pessoas, também foi verificada uma maior redução das anormalidades e das lesões observadas em exames radiológicos.
Diminuir a quantidade de bactéria potencialmente contagiosa presente na saliva do paciente pode reduzir os riscos de contaminação de outras pessoas, observaram os pesquisadores. A equipe de West concluiu que, se os resultados da pesquisa forem confirmados por estudos maiores, o tratamento padrão contra a tuberculose deve ser alterado para incluir os suplementos, que podem permitir aos médicos reduzir a dosagem ou o tempo da medicação - o que corta custos e potenciais efeitos colaterais.
 

 
Iativa Tecnologia e Comunicação

Av. Barão de Studart, 1001 - Aldeota - Fortaleza/CE
Fones: (85) 3457.2000 98118.7619 98200.4751 98130.4596

Copyright 2008 Laboratório Emílio Ribas